Grupo Orzil -

Orzil nas redes

MC: Bolsa Atleta encerra fase de inscrições com quase 7,5 mil inscritos

Publicado em: 16/02/2021 - 17:39

Início » .EXECUTIVO » CIDADANIA » ESPORTE » Notícias » MC: Bolsa Atleta encerra fase de inscrições com quase 7,5 mil inscritos

Expectativa é de que, encerrada a análise das documentações, número de beneficiários estabeleça um novo recorde do programa do Governo Federal

16022021_bolsa_atleta.jpg

Foto: Abelardo Mendes Jr./rededoesporte.gov.br

Afase de inscrições do edital 2021 do Bolsa Atleta foi encerrada nesta segunda-feira (15.02). Em um ano marcado pela inovação tecnológica, com um novo sistema que permitiu o envio de toda a documentação de forma online, o programa registrou um número expressivo de inscritos em modalidades olímpicas e paralímpicas: 7.427 atletas.

Foram quase 7.500 inscritos, de mais de 70 modalidades olímpicas e paralímpicas, um número incrível, e agora vamos partir para a próxima fase, de análise das documentações. Nossa expectativa é superar os 6.357 atletas contemplados em 2019 e estabelecer um novo recorde de um único edital do Bolsa Atleta”

Bruno Souza, secretário nacional de Alto Rendimento (SNEAR) da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania

“O total de inscritos deste ano só não é superior ao edital de 2019, quando 7.660 atletas se inscreveram”, explica Mosiah Rodrigues, coordenador-geral do Bolsa Atleta. “Mas naquele ano a inscrição era aberta, ou seja, não era preciso comprovar resultados que posteriormente garantiriam o direito ao benefício no ato da inscrição. Agora, com o novo sistema, um cadastro prévio de CPF já delimita quem tem direito a se inscrever, de acordo com os resultados chancelados pelas confederações esportivas. Com isso, esperamos que o número final de beneficiários seja bem próximo do número de inscritos”, detalha Mosiah.

“Foram quase 7.500 inscritos, de mais de 70 modalidades olímpicas e paralímpicas, um número incrível, e agora vamos partir para a próxima fase, de análise das documentações. Nossa expectativa é superar os 6.357 contemplados em 2019 e estabelecer um novo recorde de um único edital do Bolsa Atleta”, afirma Bruno Souza, secretário nacional de Alto Rendimento (SNEAR) da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania.

O programa recebeu 521 inscritos na categoria estudantil, 325 na categoria de base, 4.971 na Nacional, 1.221 na internacional e 389 na categoria olímpico/paralímpico. Atletas de todas as 27 unidades da Federação manifestaram interesse no programa e São Paulo foi quem mais realizou inscrições, com 2.449 atletas, seguido de Rio de Janeiro (880), Paraná (655), Santa Catarina (498), Minas Gerais (484) e Rio Grande do Sul (433). Na divisão por regiões, são 3.924 da Sudeste, 1.586 da Sul, 1.111 da Nordeste, 524 da Centro-Oeste e 282 da Norte. Dos 7.427 inscritos, 4.248 são homens e 3.179, mulheres.

No total, atletas de 72 modalidades, entre olímpicas e paralímpicas, de verão e de inverno, efetuaram as inscrições. O atletismo paralímpico lidera, com 540 inscritos, seguido do atletismo olímpico (524), handebol (347), taekwondo (335), natação (321), beisebol e softbol (302), judô (278), tiro esportivo (264), rúgbi de 7 (257), natação paralímpica (249) e polo aquático (210). Do total de inscritos, 5.795 (78%) são atletas de esportes olímpicos e 1.632 (22%) são de modalidades paralímpicas.

Este ano, a previsão orçamentária para o Bolsa Atleta é de R$ 145 milhões, a maior desde 2014 e superior, inclusive, ao investimento do programa em 2016, ano dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio, quando foram aplicados R$ 143 milhões.

Para o secretário Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães, 2021 pode ser considerado um marco para o Bolsa Atleta. “Esse é um ano especial e eu gostaria de agradecer o empenho de toda equipe do Bolsa Atleta, que trabalhou duro para implementar o novo sistema. Gostaria também de agradecer ao Arthur Zanetti, à Flávia Saraiva, à Mayra Aguiar e ao Daniel Dias por terem nos apoiado e participado de nossa campanha de divulgação do programa. O número de atletas inscritos nas modalidades olímpicas e paralímpicas nos deixou extremamente felizes e seguimos com nosso objetivo de apoiar os atletas e trabalhar para desenvolver cada vez mais o esporte brasileiro em todos os níveis”, afirma o secretário.

O programa

O Bolsa Atleta é um dos maiores programas de patrocínio direto ao atleta do mundo e apresenta resultados fundamentais para o esporte brasileiro. Desde a criação, em 2005, já foram concedidas mais de 69,5 mil bolsas para 27 mil atletas de todo o país. O valor destinado pelo programa desde sua implantação supera a marca de R$ 1,2 bilhão.

São cinco categorias de benefícios: atleta de base, com valor mensal de R$ 370, Estudantil (R$ 370), Nacional (R$ 925), Internacional (R$ 1.850) e atleta olímpico/parailímpico (R$3.100).

A importância do Bolsa Atleta pode ser medida nos Jogos Rio 2016. Na edição olímpica, 77% dos 465 atletas convocados para defender o Brasil eram bolsistas. Das 19 medalhas conquistadas pelos brasileiros – a maior campanha da história –, apenas o ouro do futebol masculino não contou com bolsistas.

Já nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, o Brasil teve a maior delegação da história, com 286 atletas, sendo 90,9% bolsistas. Foram 72 medalhas conquistadas, em 13 esportes diferentes: 14 ouros, 29 pratas e 29 bronzes, além de 99 finais disputadas. Todas as medalhas foram conquistadas por atletas que recebiam o apoio da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania.

No ciclo para os Jogos de Tóquio 2020, a força do Bolsa Atleta ficou clara mais uma vez nos Jogos Pan-Americanos e Parapan-Americanos de Lima 2019, no Peru, o maior evento multiesportivo antes dos Jogos no Japão para os atletas brasileiros.

No Pan, o Brasil protagonizou sua melhor campanha da história. Foram 171 medalhas, sendo 55 de ouro. Com isso, o país voltou a terminar em segundo lugar no quadro de medalhas, o que não acontecia desde 1963, na edição dos Jogos realizada em São Paulo. Dos 485 atletas originalmente inscritos pelo Comitê Olímpico do Brasil para o Pan de Lima, 333 eram bolsistas. Do total de pódios conquistados, 141 vieram com atletas beneficiados pelo programa.

No Parapan, o Brasil protagonizou um resultado histórico e chegou ao topo do quadro de medalhas com 308 pódios. Foram 124 medalhas de ouro, 99 de prata e 85 de bronze. Do total de medalhas, 287 (93,18%) foram conquistadas por atletas contemplados pelo Bolsa Atleta.

Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania