Grupo Orzil -

Orzil nas redes

Tóquio 2021: Governo Federal lança guia de modalidades, atletas e investimentos nos esportes olímpicos

Publicado em: 30/07/2021 - 08:14

Início » .EXECUTIVO » CIDADANIA » eBooks » ESPORTE » Notícias » Tóquio 2021: Governo Federal lança guia de modalidades, atletas e investimentos nos esportes olímpicos

Publicação reúne perfil dos 302 atletas da delegação nacional e registra os 242 (80%) contemplados pelo Bolsa Atleta, programa de mérito esportivo executado pela Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania

Numa ponta, a catarinense Isadora Pacheco, que aos 16 anos e três meses confirmou o nome entre as representantes brasileiras na estreia do skate no programa dos Jogos Olímpicos. Na outra, a versátil mineira Jaqueline Mourão. Aos 45 anos, ela será a representante nacional no ciclismo mountain bike em sua sétima edição de Jogos Olímpicos, entre edições de verão e de inverno. Em meio a elas, o experiente mesatenista Gustavo Tsuboi, que aos 36 anos disputará a quarta olimpíada.

O Governo Federal Brasileiro é o principal patrocinador do olimpismo no Brasil. A soma dos recursos repassados anualmente ao esporte olímpico e paralímpico via Lei das Loterias, Lei de Incentivo ao Esporte e Bolsa Atleta supera os R$ 745 milhões”

João Roma, ministro da Cidadania, que representará o Governo Federal na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Os três estão conectados pelo Bolsa Atleta, programa de patrocínio do Governo Federal Brasileiro, que prevê repasses diretos de recursos a esportistas que conquistam resultados referendados por suas confederações. Em Tóquio, a lista de contemplados pelo programa executado pela Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania reúne 242 nomes, 80% dos 302 inscritos pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB). Em 19 das 35 modalidades em que o país terá representantes, 100% dos atletas fazem parte do programa.

Isadora é a mais nova da Nação Bolsa Atleta em Tóquio. Jaqueline Mourão, a mais experiente. Gustavo Tsuboi, o atleta com a relação mais longeva: desde 2005, o nome dele apareceu na lista do Bolsa Atleta em 15 editais por suas performances de excelência. A lista reúne ainda nada menos que dez campeões olímpicos, como Alison e Bruno Schmidt, do vôlei de praia, Arthur Zanetti, da ginástica artística, e a dupla de velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze.

» Versão em .PDF do guia para download

“O Bolsa Atleta é de suma importância na minha carreira. Sem ele eu não teria continuado por tanto tempo no alto rendimento. É a base, a segurança que tenho para continuar me dedicando. Eu comecei no Bolsa Atleta quando ele iniciou e, como pratico dois esportes, principalmente no da neve, o apoio financeiro externo é pequeno. Praticamente 100% da minha ajuda vem do Bolsa Atleta”, comentou Jaqueline Mourão, que pretende encerar a carreira em Jogos Olímpicos na prova que disputará no dia 27 de julho.

“Esse apoio nesses 15 anos teve total importância na minha carreira. Ele me ajudou a ter as condições necessárias para que eu me mantivesse dedicado ao esporte e alcançando metas e objetivos que pareciam distantes, como ser medalhista em Jogos Pan-Americanos, me tornar atleta olímpico e figurar e me manter na elite da modalidade, completou Gustavo Tsuboi.

Lista recorde

Em 2021, a Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania divulgou uma lista recorde de contemplados pelo Bolsa Atleta. São 7.197 nomes, com 5.560 de representantes de modalidades olímpicas e outros 1.637 de modalidades paralímpicas, com um investimento previsto de R$ 97,6 milhões.

Ministro na abertura

O Bolsa Atleta é o maior programa de patrocínio direto do mundo e tem essa gradação de categorias exatamente para acompanhar os esportistas em cada uma das etapas de seu crescimento no alto rendimento”

Marcelo Magalhães, secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania

O guia completo com os 302 brasileiros em Tóquio e detalhes do investimento do Governo Federal nos 242 bolsistas foi publicado nesta terça, 20.07. “O Governo Federal Brasileiro é o principal patrocinador do olimpismo no Brasil. A soma dos recursos repassados anualmente ao esporte olímpico e paralímpico via Lei das Loterias, Lei de Incentivo ao Esporte e Bolsa Atleta supera os R$ 745 milhões”, afirmou o ministro da Cidadania, João Roma, que será o representante do Governo Federal na Cerimônia de Abertura, em Tóquio, no dia 23 de julho.

A lista de contemplados pelo Bolsa Atleta em Tóquio inclui 88 atletas da categoria mais alta, a Pódio, voltada para esportistas que se destacam entre os 20 melhores do ranking mundial de suas modalidades e que prevê repasses mensais que variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil. Outros 62 pertencem à categoria olímpica, destinada a quem já participou de alguma edição dos Jogos e segue com resultados expressivos. Há, ainda, 69 da categoria Internacional e 23 da Nacional.

“O Bolsa Atleta é o maior programa de patrocínio direto do mundo e tem essa gradação de categorias exatamente para acompanhar os esportistas em cada uma das etapas de seu crescimento no alto rendimento”, afirmou o secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães. “É um orgulho para nós ajudar a garantir esse suporte para que os atletas possam representar o Brasil com a tranquilidade necessária em todos os momentos”, completou Magalhães.

Recorçando as palavras de Marcelo Magalhães, o secretário Nacional de Alto Rendimento da Secretaria Especial do Esporte, Bruno Souza, ex-atleta olímpico do handebol, ressaltou que o Bolsa Atleta é um programa meritocrático, que apoia o atleta com base em resultados conquistados por ele ao longo de sua carreira. “Ele é baseado em resultados obtidos. Então, é um programa de mérito esportivo, muito diferente de um programa de assistencialismo esportivo”, frisou Bruno.

Adicionalmente, o Programa Atletas de Alto Rendimento, das Forças Armadas, investe cerca de R$ 38 milhões anuais em 540 atletas, que contam com direitos da carreira militar e respaldo adicional para a preparação para megaeventos. Dos 540, 91 estão classificados para os Jogos Olímpicos, em 21 modalidades: 44 pertencem a Marinha do Brasil, 26 ao Exército Brasileiro e 21 à Força Aérea. Todos estão identificados nos perfis do guia lançado nesta terça.

Diretoria de Comunicação – Ministério da Cidadania